Para onde estou caminhando?

PARA ONDE ESTOU CAMINHANDO?
O ser humano no mundo contemporâneo é muito cobrado em aspectos financeiros, profissionais, físicos entre tantos outros. Em busca de um dito “estilo de vida ideal” as pessoas ficam frustradas por não o conseguirem, mas poucos pararam para pensar se este seria realizável. O que dizer a respeito?
Ao analisar a questão podemos concluir que este “ideal padrão” não é possível ser alcançado. Isso porque ele não respeita às características de cada um: intelectuais, financeiras, físicas, etc. É impossível alguém ser tudo, ter tudo e fazer tudo. Porém muitos acham que isso é possível e se frustram ao longo de muito tempo ao verem que não conseguiram. É uma obrigação nossa com certeza de, mesmo sem acreditar nas nossas chances de êxito, na economia ou no futuro, lutarmos, principalmente pelo que é essencial, mas esses “ideais” geralmente remetem ao excesso e não à manutenção da vida. Existem também aqueles que ao verem que não podem alcançar totalmente o “estilo padrão”, escolhem apenas um objetivo (financeiro por exemplo) e abandonam os demais aspectos de suas vidas, e posteriormente serão cobrados por eles.
O DESTINO
Apesar de muito controverso, um “destino” não é tão absurdo assim. Quando se fala nele o que vem em mente são pessoas incapazes arrumando desculpa para o fracasso pessoal. Mas o que ocorre é que geralmente as pessoas conseguem está contido em suas “predisposições”. Por exemplo, a maioria das pessoas é magra porque têm “predisposição” genética para tal, mesmo quando se alimentam mal. As pessoas seguem o caminho que podem na vida. Se têm uma habilidade intelectual ou artistica, são obrigadas a explorarem-nas por falta de “opções na prática” ainda que tenham outras aspirações. Teoricamente cada um pode o que quiser, mas na verdade só conseguirá aquilo que tem predisposição. Para se tentar algo que está fora da predisposição, pode se usar a mesma técnica que outro já usou, mas seria como um enxerto porque não tem contexto, pode se tentar, mas não é 100% como seria nas pessoas que conceberam essas técnicas. Pode se usar uma técnica adaptada para determinada pessoa porque existem várias formas de se alcançar um mesmo objetivo, mas também não é 100%. O infalível é transpor cada etapa  das dificuldades internas e externas até e somente se conseguir o objetivo.
AS “FASES DA VIDA”
Se nas fases boas a mente diz tudo que precisamos ouvir e nos faz sentir os pensamentos como se tivéssem ocorrido para fortalecê-los, e conseguimos ler fielmente a realidade, nas fases ruins só pensamos. A mente já não diz mais nada de útil, só quando não adianta ou não precisa mais. Para compensar isso devemos sempre nos perguntar se não estamos esquecendo algo e quando a mente nos “sopra” alguma coisa devemos nos perguntar se aquilo pode ter um desfecho ruim. Devemos procurar aproveitar ao máximo as fases boas e tentar “se quebrar” o menos possível nas fases ruins.
AS CONDIÇÕES
Quanto mais lutarmos, mais condições pré-existentes conseguiremos achar em nós. Ficar de braços cruzados é a condição ideal para achar que não se pode nada. As melhores condições das pessoas não foram adquiridas com livros ou dinheiro, mas nasceram com elas. As mais rentáveis e notórias capacidades do Homem parecem que já vieram de fábrica. Na verdade elas foram programadas até os três anos de idade como personalidade.O ser humano não precisa de uma “meta-padrão” para todos, mas que cada um encontre em si o seu melhor. Deve-se lutar pelo que se almeja independente das adversidades porque quando se quer algo de verdade mesmo, se consegue.

HAVERÁ UM FUTURO? (Parte 2)
Pensar no futuro é coisa de pessoas sábias. Grandes empresários, governos, investidores entre outros são alguns exemplos que podemos mencionar que fazem isso. Rumos de mercado, novas tendências, meteorologia, commodites, planos-diretores de urbanismo, investimos em áreas específicas são exemplos de ações , que pelo caráter imprevisível, são as mais rentáveis e as mais estratégicas. Já que o futuro é tão valorizado e provavelmente estaremos nele, o que podemos esperar do nosso amanhã? O que você espera do seu futuro?
PROGRESSO?
A ciência e o dinheiro melhoraram muito a condição de vida da humanidade. A tecnologia é o ponto de intersecção desses dois itens, e a automatização é um ponto de destaque nesse processo. Porém no futuro esta será um problema, pois desde a sua implantação moderna, na Revolução Industrial, tem deixado muitos desempregados e no porvir acontecerá da mesma forma. O mundo caminha para uma automatização de tudo, com um crescimento populacional inversamente proporcional aos postos de trabalho,o que colocará o capitalismo em xeque. Isso exigirá que os governos assumam uma posição socialista, propiciando ao povo o alimento até as demais necessidades da população, pois sem trabalho não haverá dinheiro, e por conseguinte não haverão meios de sobreviver. Sendo assim, ou o Estado confiscará empresas, ou aumentará os impostos de maneira expressiva, tudo isso para arcar com o custo de manter as pessoas. A falta de emprego pela automatização também gerará ociosidade nas pessoas, o que é  um grande problema. A história prova isso, pois na antiguidade clássica (Grécia Antiga, Roma) as pessoas sem ter o que fazer (pois tudo era feito pelos escravos), dedicavam-se a ficar filosofando diariamente pelas praças, e a fazer guerras seguidamente. A falta de movimento na economia criará uma acentuada recessão, e infelizmente a história mostra que muitos países só voltaram a ter aquecimento na economia depois de serem destruídos, o que pode acontecer pelas guerras e desastres naturais. O Japão nessa se sairá bem, pois tem uma cultura excessivamente capitalista, onde as pessoas jogam fora produtos novos e que acabaram de comprar, o que de certa forma impulsiona o mercado, pois terão que comprar novos produtos.
O Estado tornando-se uma social-democracia idêntica ao socialismo, irá reger a vida das pessoas. Os problemas de urbanismo, do aquecimento global e da economia criarão “desertos urbanos”, fazendo as pessoas migrarem para cidades menores e para o campo, pendendo para a espiritualidade e simplicidade, o que poderia ser chamado de “medievalização”. A saúde, apesar de avançada como ciência, não conseguirá impedir que doenças se alastrem por causa do desequilibro ambiental: epidemias, radiação solar excessiva, problemas respiratórios por causa da poluição, pragas, etc.
SOLUÇÃO
Para o mundo não ter que voltar a uma época medieval no futuro depois de uma grande guerra,precisa-se pensar nos rumos de nossa sociedade, e fazer alguma coisa. “Hoje” terá que haver um estímulo para que as pessoas “desafoguem” os centros urbanos pois até a criatividade tem limites na correção do crescimento desordenado das cidades. Hoje também tem que haver aumento de impostos sobre empresas excessivamente automatizadas, ou leis que obriguem empresas a empregarem além de deficientes, a negros, obesos, homossexuais, idosos e quaisquer que possa estar sendo hostilizadas e preteridas nesse processo. Precisa haver “agora” um controle de forma adulta e séria da emissão de poluentes para que muitas vezes nossos descendentes não sejam extintos por causa de desastres climáticos. O que se ganha em aspectos econômicos não se levando em conta a poluição depois se tornará em prejuízo para reconstrução de cidades. É inegável também a necessidade um controle de natalidade inteligente, às vezes até por força de lei, para que a própria sociedade depois não venha a sofrer por isso. Há a necessidade de ensino de psicologia nas escolas, pois saber português e matemática é irrelevante em uma situação estressante, e a violência e o crime devem ser combatidos na raiz do problema, e não depois dele acontecer. A incapacidade de ajuste social de muitos, resultado da falta de educação para a vida, é a raiz da maioria dos males modernos.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Nessa linha de raciocínio podemos dizer que o capitalismo não é ruim, o que é negativo é a falta de ajuste social, e não de conhecimentos gerais. Devemos ter a percepção das mudanças mesmo que sutis do nosso tempo para evitar que a nossa sociedade não siga rumos não interessantes para nós. Precisamos ser mais conscientes e atuantes politicamente, fiscalizando os gasto de recursos e questionando se for preciso, pois é isso que os bons políticos fazem, Pois quando não se envolvermos para achar uma solução, seremos obrigados a se envolver se formos vítimas da nossa falta de interesse. Os problemas da sociedade não são culpa dos políticos, mas do povo, que está no poder, e o poder sempre vem acompanhado de responsabilidade, e muitos por preguiça tem abrido mão da responsabilidade, a repassando para quem quiser, e como compensação têm dado o seu futuro e melhores condições de vida para outros. Existir não é a mesma coisa que viver.

Parte 3
Um dos maiores segredos para a humanidade hoje é o funcionamento do cérebro. Estima-se que apenas 15% dele é utilizado pelo ser humano. Qual será a razão disso? Esse uso parcial dele determina o rumo da nossa vida?
AS ILUSÕES
Existem muitas funções da nossa mente que são reconhecidas cientificamente, e outras ainda são uma incógnita. Dentre estas, as mais estudadas estão as ilusões da mente. A ilusão de ótica por exemplo é um processamento pessoal do cérebro com relação à visão. A dita paixão também é uma ilusão, que engana o ser humano colocando na outra pessoas características irreais e exageradas, quando o cérebro de um identifica no outro características físicas que poderão gerar um filho de traços biológicos equilibrados (nem muito magro, nem obeso, não muito alto, etc.). Porém uma ilusão pouco explorada é a com relação à concretização de objetivos. Algumas pessoas antes de alcançarem um objetivo entraram em um “estado de emergência psicológica”, onde não conseguiam perceber os objetivos mais como antes. Não viam mais as dificuldades, os problemas, as recompensas e condições para a obtenção deles, até os conseguirem. Depois constatam que a satisfação que achavam que teriam quando conseguissem aquele objetivo não existe, e pior, ficam indiferentes em relação àquilo. Ainda constatam que não lembram a maioria dos passos que deram rumo ao que almejavam ou não conseguem mais descrevê-los. Isso talvez se deva a esses “passos dados” serem administrados em nível subconsciente. Mas a ilusão mais destrutiva para o Homem é o “otimismo”. O pessimismo também pode ser ruim, mas não é tão grave porque visa mais a inércia do que ao movimento. O otimismo é a reação das pessoas quando seguidamente tem êxitos na vida depois de fazerem por onde estes ocorrerem. O problema é que irracionalmente algumas pessoas pensam que “tem sorte” ou “são especiais” e tudo que quiserem, mesmo sem fazer por onde (diferente de quando tiveram êxito), irá acontecer. Erroneamente querem confundir isso com fé, que visa um milagre, não coisas humanamente alcançáveis. Essa ilusão destrutiva não tem pressa para destruir seus adeptos e pode os perseguir até à mais avançada idade, acabando silenciosamente com a humildade, prudência, motivação, dedicação e até a inteligência. Todas as ilusões são destrutivas, porque visam interesses de outros personagens, como o instintos de perpetuação da espécie e do equilíbrio genético, do subconsciente e para alguns, até Instintos Divinos.
A CONSCIÊNCIA DO SUBCONSCIENTE
Admite-se que a nossa mente possui três níveis de consciência: consciente, subconsciente e inconsciente. A consciência é o que chamamos de “Eu”. É a nossa constatação que somos alguém. Ela comanda os movimentos voluntários, direciona os pensamentos, planeja, etc. Agora vamos falar do nível mais importante: o subconsciente. Ele é o famoso “semancol”, que nos avisa às vezes sobre algo que deveríamos fazer ou pensar. Também determina as famosas atitudes irascíveis que as pessoas se arrependem depois , achando que foram voluntárias. Ele deixa à desejar ou é prejudicial às vezes porque não pensa, apenas segue programações que são uma incógnita como são implantadas ( possível explicação no artigo “Como Vencer na Vida Através dos Mistérios da Bíblia”). O subconsciente também atua como “uma segunda consciência” – como “um vigilante perceptor fiel da realidade e em tempo real” possivelmente, naquilo que a pessoa está programada para perceber fielmente. Essa é a razão porque algumas pessoas têm noção para algumas coisas e para outras não, ou que têm facilidade para trabalhar com alguma coisa e outros não. A personalidade é uma soma das programações mentais do subconsciente. O inconsciente em principio apenas armazena todos os fatos do dia inteiro, como um disco rígido.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
O nosso futuro é determinado pelos imprevistos e pelos assuntos que cuidamos em nossa vida. Quanto mais assuntos eficientemente cuidados, menos se haverá espaço para imprevistos. E por tanto tempo que forem cuidados, por tanto tempo possivelmente não darão problemas, o interesse é de cada um. Não devemos confiar em nós como se fossemos apenas nossa consciência porque existem outros “entes de interesse” como o instinto de perfeição, que leva alguns a desprezar obesos, magros, negros, loiros, caucasianos; o instinto de perpetuação da espécie, muito usado pelas traições conjugais; o subconsciente, que programa a personalidade e a noção da realidade independente de nossas aspirações por meios ainda desconhecidos; da Justiça de Deus, que tende a igualar todos no mesmo nível de satisfação de vida, se destruindo ou não conseguindo progredir alguém por ter chegado em um “marco pessoal de satisfação”, diferente em cada um. Para a Justiça de Deus é bom, pois todos são seus filhos, e independente da realidade de vida que tiveram, não quer que um seja mais feliz do que o outro – não é bom para nós. A única maneira de vencer esse “marco de satisfação” seria seguir a bíblia; O Juizo de Deus, que pune a falta de humildade e a não-observância dos outros preceitos bíblicos com a respectiva pena. A tranquilidade é boa, mas o mundo e as outras pessoas estão em movimento , e se ficarmos parados, por uma imposição da Física, não vamos conseguir nem ao menos acompanha-las, ficando para trás. Para apenas ficarmos no lugar, temos que correr bastante, para progredir (se quiser), ainda mais, e se ficar parado então, o que esperar? O interesse é de cada um – o mundo não tem dó de ninguém – cada um, com o que puder, tem que buscar muitas vezes, “o seu lugar ao Sol” – sempre há um jeito.

Parte 4
O futuro é ainda uma das grandes motivos de inquietação das pessoas. Por outro lado, as pessoas sentem que ele será melhor, mesmo que nada sinalize certamente para isso. Mas o que podemos esperar do amanhã, sendo as coisas do jeito que são e estão?
SONHOS
Todos os têm. O que pouca gente sabe que eles se originam só daquilo que as pessoas não podem conseguir. As pessoas só sonham com aquilo que não podem, o que podem é chamado de metas. Estranhamente, só que já teve alguma coisa é que sente falta dela, porém quem sonha tem falta de algo que nunca teve. Por exemplo, a maioria das pessoas não sente falta de não ter cem milhões de dólares, mas pode estar com saudades de um familiar ausente. Os sonhos na verdade revelam um grandeza interna que cada um tem, pois mostra algo que cada um acha que deveria ter. Mas não é porque ele se origina de algo que as pessoas não podem é que os sonhos deverão ficar assim para sempre muitas vezes. Os sonhos, como a paixão e as fobias são tipos de ilusão da mente, que são “exageros” necessários para que o Homem vá realmente em direção a um objetivo.
A REALIDADE
Se nem para as demandas do dia-a-dia se sobra tempo, quanto mais para os sonhos. São tantas as exigências que a vida quotidiana faz, e as condições só nós levam até onde já chegamos e, à partir disso, onde deveremos chegar. Os sonhos servem então para frustrar o Homem? Existem dois tipos de visão dos sonhos: uma que eles são inatingíveis, e outra que eles são “desafios”. Qualquer um que vê algo que deseja como inatingível nunca irá conseguí-lo, mas se vê-lo como um desafio, uma competição, terá uma força muito maior e poderá até alcançar um objetivo. Vendo como inatingível ou um desafio, a distância do objetivo será a mesma. A diferença das pessoas está aqui. E de maneira notória pode-se concluir que qualquer coisa que alguém já alcançou pode ser alcançada por outra. Acredita-se que o que de bom queremos e não podemos deve ser visto como um desafio ou competição com a vida. Para o que não se quer isso pode também ser válido.
O PLANEJAMENTO
Nós só lutamos por algo que julgamos poder conseguir, mas na verdade se lutarmos, podemos tudo. O difícil é a motivação. Mas tendo-se conseguido ela, deve-se partir para a “fase de execução” de um objetivo. A vida espera que tenhamos uma “resposta-padrão” para tudo. Se somos alvo de um xingamento, de pronto espera-se que revidemos, na verdade a maioria das pessoas que o fazem espera esse tipo de resposta. “Se cairmos igual a um pato”, já perdemos “uma batalha dessa guerra”. Se vemos que a intenção por trás da agressão é nos prejudicar, nos irritar, devemos mostrar que estamos “nesse briga” para vencer: rindo , saindo de perto ou não dando muitas vezes o gosto da pessoa que te agrediu de te ver fazer alguma besteira ou sair da paz que estava. Em tudo espera-se uma “resposta-padrão”, mas só as que vão “na contramão” disso é que são notórias, para mais ou para menos muito certamente, dependendo da situação que é empregado. Mas isso só deve ser usado muitas vezes em momentos cruciais. No entanto, o princípio disso é muito maior: o de “pensar” antes de fazer as coisas. Pois o ideal mesmo muitas vezes é “não dar aquilo que a “intenção” está querendo”. Isso pode ser facilmente entendido assim: se te xingam, mas a intenção disso é que você saia do sério ou se prejudique, você deve agir ao contrário, não se importando, e até rindo disso. Já haverá, entretanto, casos que em vez de não fazer nada devemos agir, e muito rapidamente, mas ainda assim lembrar rapidamente que “nem tudo que brilha pode ser ouro” ou “nem tudo é o que pode parecer”.
EXECUÇÃO
Já viu-se aqui que deve ver a vida como “concorrente” e como um desafio, a título de motivação; que na maioria das situações conflitantes agir de forma inversa do esperado é o mais notório e que não devemos “dar o gosto da vitória” para as “intenções” por trás das atitudes, e não se importar com o “embrulho” delas. Esse princípios complexos da psicologia, aqui apresentados de forma popular, são a preparação para pôr-se em prática ou tornar em realidade um objetivo. Em primeiro lugar de execução, deve-se traçar um plano “tangível” de onde se está até o que se quer. Por exemplo, para tornar-se engenheiro, médico, professor, policial agora, têm que se fazer curso superior. Mesmo que não seja sua realidade, trace um objetivo. Em um projeto, além de se saber que caminhos se tomarão, devemos também saber “como” tomaremos aquele caminho em rumo à realização do que se quer. Mas vencer não é para qualquer um, difícil é mesmo, porém mais difícil que alcançar é a preguiça e a falta de motivação, que são “marcas registradas” dos invejosos e derrotados na vida. É simples: se é feita alguma coisa, se consegue; se não se faz nada, NADA vai acontecer.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
A nossa vida, apesar de estar sujeita a “flutuações”, irá para o caminho que controlarmos para ela ir. Se não controlarmos nada ou poucos aspectos dela, pouco poderemos esperar do que queremos pra ela. Não devemos querer mudar nada, só nossa situação, o melhor é tentar controlar o destino, e com um sutil pequeno empurro, com o tempo a vida vai estar no rumo que se quer.
“Enquanto alguns sonham com o sucesso, nós acordamos cedo para concretizá-lo” (Abílio Diniz)

Parte 5
Conceitos como “só quem tem dinheiro consegue as coisas” e “quem não tem dinheiro morre sozinho” são populares em nossos dias. Por outro lado, muitos também se questionam quando vêem situações que “fogem do normal”. O que pensar a respeito? Quem é o ser humano? Como funciona?
ANÁLISE
O Homem tem princípios comuns, que são os seguintes:
*A alimentação e a procriação são instintos básicos do ser humano, sendo os demais derivados deles;
* O Medo e o amor são os sentimentos básicos do Homem, sendo que todos os demais sentimentos derivam destes;
* Ao nascer as pessoas só vem providas de instintos. Depois com o tempo e a observação esses instintos, em diferentes pessoas e em áreas diferentes são substituídos por “sentenças ou frases”, nem sempre inteligentes, embora racionais;
*As pessoas podem agir em uma situação ou pelos instintos , ou pela consciência. Podemos identificar uma ou outra pois uma atitude “instintiva” vem carregada de “emoção” nas palavras, assemelhando-se a uma “incomum raiva”, já as atitudes conscientes são só frases;
*Em situações não-planejadas, agiremos sempre da forma que estamos “programados” – instintiva ou racionalmente;
*Essa “programação” se faz pelo “desprezo”, através de um mecanismo de defesa do ser humano: quando se despreza algo seguidas vezes, está se querendo fugir de algo que pode ser importante, relevante, e mesmo que seja algo ruim, a mente inconsciente não consegue diferenciar isso, acionando os instintos, que através das ilusões da mente – fobias, paixão, complexos, etc, distorcem a realidade, obrigando e enganando as pessoas para chegarem onde desprezaram, falando ou pensando;
*Uma maneira de acabar com os complexos e outras ilusões da mente é “satisfazendo o motivo da ansiedade”. Se ela é gerada por uma fobia de altura por a pessoa outrora ficar se arriscando a quase cair da janela do prédio onde mora, ao limpar os vidros de maneira relapsa, deve-se falar que aquele medo exagerado tem razão, e é um mecanismo de defesa. Isso serve também para sentimentos não verbalizados ou tornados racionais que podem esconder coisas importantes a respeito de cada um;
*A felicidade é um conceito utópico. As pessoas só chegam onde “não lhes fará diferença”. Aquilo que querem é só um limite para não ultrapassarem – e assim por diante.
CONCLUSÕES
O ser humano tem ainda várias outras peculiaridades, que serão elencadas nos próximos artigos desta série. Sabendo como somos podemos nos controlar mais e sermos menos suscetíveis ao destino.

DESMASCARANDO A REALIDADE (Parte 6)
Escutamos frequentemente que “a vida é dura”. As reclamações são diversas: dizem que uns nascem em familias com melhores condições e outros em familias ou países miseráveis; sorte de quem nasceu em uma familia boa, azar de quem nasceu já sem pai e mães vivos; que uns nascem com aparência e dinheiro e outros deficientes ou doentes; que uns nascem para viver até cem anos e outros morrem precocemente e assim por diante. Não é difícil escutar também “como eu vou conseguir materialmente o que eu almejo se não tenho estudo, dinheiro ou capacidade?”, ou ainda “como eu vou conseguir casar se não tenho aparência nem dinheiro?”. Mas supondo que Deus exista e seja justo, este mundo é justo?. A bíblia porém diz que independente de como se apresente, todos estão em condições de igualdade, para que ninguém se exalte dizendo que é ou está melhor do que alguém, a não ser que está verdadeiramente com Deus:
“Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; Para que nenhuma carne se glorie perante ele. Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção; para que, como está escrito: Aquele que se gloria, glorie-se no Senhor.” (1 Coríntios 1, 27-31). A bíblia dá a entender que os fracos fariam coisas que os fortes deveriam fazer, pela lógica. Esse é o caso do menor da casa de Jessé, Davi, que venceu o gigante Golias e se tornou rei em Israel.
A condição das pessoas é algo que é muito considerado atualmente, pois muitas vezes ela é quase ou impossível de se obter-se, e por vezes mesmo com condições as pessoas não conseguem as coisas. A bíblia porém diz que que tudo isso é uma ilusão. O universo em seu início era um vazio e só Deus existia. Ela leva-nos a crer que Deus ficou a eternidade inteira antes de nós pensando como criaria o mundo e nós e até as coisas ruins têm uma lógica na criação, porque tudo é muito perfeito. Tudo tem o seu ritmo natural: planetas, clima, os animais, etc. Mas como foi dito, tudo era um vazio. E Deus não tinha condição também, tinha o projeto, mas não tinha o material. Como surgiu tudo então? Pelo Espírito de Deus , conforme a bíblia afirma:
“No princípio criou Deus os céus e a terra.
E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.
E disse Deus: Haja luz; e houve luz.
E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas.
E Deus chamou à luz Dia; e às trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro.
E disse Deus: Haja uma expansão no meio das águas, e haja separação entre águas e águas.
E fez Deus a expansão, e fez separação entre as águas que estavam debaixo da expansão e as águas que estavam sobre a expansão; e assim foi.
E chamou Deus à expansão Céus, e foi a tarde e a manhã, o dia segundo.
E disse Deus: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num lugar; e apareça a porção seca; e assim foi.
E chamou Deus à porção seca Terra; e ao ajuntamento das águas chamou Mares; e viu Deus que era bom.
E disse Deus: Produza a terra erva verde, erva que dê semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua espécie, cuja semente está nela sobre a terra; e assim foi.” (Gênesis 1; 1-11).
Como Ele sabia o que era erva verde se não existia planta nenhuma até aquele momento? Prova de que tudo foi planejado. Os planetas foram formados apenas para enfeitar o céu que viríamos. A natureza foi criada para o nosso bem, deixando nos em dúvida se foi Deus quem a fez ou a Física, para não sermos obrigados pela realidade a acreditar, querendo ou não em Deus.
Então, para conseguirmos as coisas, não precisamos de condição, isso é uma ilusão, pois não havia nada quando Deus criou tudo. Havia sim um projeto, muito bom, e a fé. A condição é uma desculpa que aparece depois de nós planejarmos e termos fé que irá acontecer o que queremos. Porém Deus criou o ser humano diferente, sendo que o nosso acesso ao Poder Criador é como um cofre de banco: dá-se o comando para abrir e depois de horas a porta desse cofre abre. Quando pedimos a Deus algo de bom, vai acontecer. Mas não pode haver nenhum “comando de desistência de abrir a porta” no meio do caminho. Esse comando ruim pode ser a blasfêmia, a soberba, a falta de humildade, etc. Isso se chama tempo de provação. Só que às vezes podemos, por más atitudes, sem pedir, dar o comando de abertura da porta para coisas ruins e tragédias e também nós é dado nesse tempo de demora, a oportunidade de se arrepender e pedir perdão, para que nenhum mal ocorra pelo mal que se fez. Às vezes porém podemos não nos aperceber que tivemos uma atitude soberba e orgulhosa, carente de humildade, que poderá nos prejudicar. Por isso sempre devemos pedir perdão a Deus pelo mal que fizemos conscientemente ou não. Podemos notar os erros dos outros, mas os nossos não, porque se não seriamos todos iguais e semelhantes a robôs.
Podemos concluir com tudo isso que a realidade é apenas uma dimensão das coisas, como a nossa visão, que capta apenas o que a luz reflete, descartando as outras dimensões que podem haver. A realidade não é necessariamente a verdade. Devemos confiar em Deus, no Seu Amor, Sabedoria e Justiça e esperar e aproveitar a vida com tudo de bom que ela pode oferecer pois tudo tem o seu tempo: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.
Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou ” (Eclesiastes 3; 1-2).
Por isso não devemos nos preocupar com “condições”, pois Jesus faz do fraco forte, e do nada cria aquilo que estamos pedimos para Ele. Por mais difícil que pareça a realidade, ela continua a mesma, independente de como a classificamos, através das sucessivas vitórias ou derrotas que temos na vida. Nelson Mandela disse algo interessante sobre isso: “As coisas são impossíveis até conseguirmos realiza-las”.

Até uma próxima oportunidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: