O mundo está acabando?

Agradeço primeiramente ao comentário do leitor Márcio ao artigo “A Visão de Mundo de um Policial”:
“Um texto digno de ser lido. Por Marcio, março 16, 2011
Olá Agnaldo,
Muito consistente o seu texto.
As pessoas acham que tudo pode acontecer com todos, menos com elas próprias, ficando a mercê das catástrofes causadas pelo próximo e as vezes de si mesmos.
É triste ver vocês policiais se dedicando para construirmos um mundo melhor e aí vem a justiça e age com injustiça, muitas vezes prendendo inocentes e deixando marginais soltos. Acredito que o nosso país ainda é uma criança, uma criança que que dorme sob a sombra da árvore da ignorância. Mas acredito que estamos evoluindo, e em breve teremos orgulho de dizer que somos brasileiros.”
O MUNDO ESTÁ ACABANDO?
Certa noite sem sono liguei a televisão, e coloquei no canal da Igreja Universal e por algum tempo me detive nele. O pastor estava orientando ao vivo pessoas que ligavam para a emissora, e uma delas me chamou atenção com o que disse. Esta pedia que o religioso orasse por ela, pois estava trovejando e esta tinha pavor de chuva, e ela chorava muito. O pastor também estava meio estranho e não deu uma orientação muito proveitosa para a mulher, parecia que também estava com medo. O que está acontecendo com as pessoas? Aonde foi parar a inteligência delas?
O sentimento da maioria das pessoas hoje é que vão morrer a qualquer momento por causa das forças da natureza. Não podem ver uma nuvem escura no céu que saem correndo; ficam esperando o dia inteiro aflitas até passar a previsão do tempo no Jornal Nacional. Mas qual a explicação para tudo isso?
A sensação que as coisas estão piorando de modo apocalíptico no mundo não é muito lógica, pois antigamente os meios de comunicação não tinham muita abrangência de público e informações, e por isso não transmitiam muitos eventos climáticos, ou as pessoas não chegavam a ter conhecimento sobre estes. Mas eles sempre existiram, e a natureza não tem muita tendência de privilegiar uma época e a outra desgraçar. E hoje também os meios de comunicação, principalmente a televisão, ficam iguais aqueles comerciais da Polloshop, que ficam o dia inteiro falando e repetindo as mesmas coisas sobre o mesmo produto, ao noticiarem sobre eventos trágicos, passando a falsa sensação de extensividade do ocorrido. Outra coisa é que a televisão passa eventos naturais do mundo inteiro, e parece, mesmo que seja lá do outro lado do mundo, que acontece tudo aqui, sem contar que depois disso, para completo desespero do povão, passam a previsão do tempo… Mas vamos falar um pouco sobre os principais eventos climáticos:
• Chuva – por mais feia e escura que parece uma nuvem, ainda assim será incrivelmente ÁGUA! É verdade, é só água. Se você tiver medo disso, também deverá ter medo de abrir uma torneira – seria isso lógico ou inteligível? Sim?Não?
• Vento – também por mais decepcionante que seja, é só ar. Se tiver medo disso, poderá ter medo talvez de ligar o ventilador ou o ar condicionado, será talvez razoável isso?
• Raios – com estes deve-se ter um pouco mais de atenção. Porém estudos dizem que dentro de casa e, até no interior de automóveis, apesar de poderem acontecer, são praticamente nulos os riscos de acontecerem e causarem danos nesses casos.
• Granizo – causa prejuízos materiais geralmente pouco expressivos e praticamente nenhum dano às pessoas.
• Vendaval ou Temporal – é a união da chuva, ventos, raios e às vezes granizo em uma chuva passageira.
• Tornado – não é muito comum no Brasil, mas os que aconteceram foram de fraca intensidade em relação aos que acontecem em outros países. Não se tem noticias de danos muito expressivos causados por ele, é só procurar no Google e comprovar isso.
• Furacões – são de intensidade moderada no Brasil, mas não são muito comuns aqui, e os sistemas meteorológicos ainda podem prevê-los com bastante antecedência, dizendo se serão perigosos ou exigirão evacuação de determinada área.
E os eventos geológicos mais importantes são:
• Terremotos – Graças a Deus não ocorrem no Brasil, apenas alguns reflexos considerados poucos relevantes.
• Tsunamis – devido às características da crosta na placa onde se encontra o nosso continente, são consideradas irrelevantes.
• Vulcões – Graças a Deus também não ocorrem no Brasil.
Mas qual a conclusão que podemos chegar de tudo isso? Os fenômenos naturais em si geralmente NÃO CAUSAM DANOS, o que podem causa-los é a forma que as pessoas os encaram. Por exemplo, em uma chuva com raios, algumas pessoas ficam embaixo de árvores, que são para-raios naturais, se expondo a um perigo. A situação no Brasil não é para causar tanto desespero como tem causado em algumas pessoas, pois em países como Estados Unidos e Japão os eventos naturais são muito piores do que aqui, e mesmo assim não causou a extinção dos americanos e dos japoneses, até onde sei. O que aconteceu é que eles precisaram se adaptar, como nós precisamos hoje acredito. A temperatura aumentou um pouco no Brasil, pois temos mais edificações como prédios, que retém mais o calor, mas acho que não é caso ainda para um apocalipse do Brasil. A falta de árvores arrancadas para o aumento de pastagens e plantações não seguram o vento, que chega mais forte, mas ainda não levantam casas, pessoas e caminhões como tornados que ocorrem nos estados Unidos.
Por tudo isso, é preciso ficar com pavor da aparência e do possível acontecimento dos eventos naturais? Eu acho que não. E você, segundo as informações do artigo acima, o que acha agora? Eu acredito que o conhecimento, o bom-senso e a inteligência nos dão paz e mais qualidade de vida, e devem ser usados também com relação às chuvas ou outros eventos naturais, para muitas vezes não sermos pessoas com inteligência, consciência e normalidade duvidosas, tendo medo de coisas irreais e ilógicas.

Parte 2

O clima de “extinção” da humanidade anda generalizado por aí. Pouco se comenta sobre isso, fomentando o cenário apocalíptico do imaginário popular. Mas o que podemos esperar para o nosso amanhã? 2012 será o ano do fim da humanidade? Vejamos então quais são as principais “preocupações” das pessoas nesse assunto:
• Falta de água – um eslogam da moda atualmente é “água é vida, se não cuidar vai acabar”. Porém a água e qualquer substancia química simples não se acabam, pois isso é contra a Física, segundo a conclusão de Lavoisier “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”. O eslogam se refere à agua potável, para se economizá-la, mas não porque irá acabar, mas porque se tornará muito caro desalinizar a água do mar e a cada dia está mais demorado e caro despoluir a água dos rios que abastecem as cidades. Acho difícil também haver guerras por causa de água doce, com tanta água que se tem nos oceanos, basta filtrá-la.
• Aquecimento global – muitos entendem como aquecimento global como se a Terra fosse esquentar até derreter. A falta de informação sobre o fato tira a paz de muita gente. A queima de combustíveis fósseis e o desmatamento favoreceram ao aumento de gás carbônico na atmosfera (no ar), e este gás retém mais o calor no meio-ambiente, fazendo a temperatura da superfície aumentar. Mas esse aumentar é de um grau a cada cinquenta anos, nada de vaporizador como muitos pensam. Os efeitos do aquecimento global também não são coisas que o ser humano já não tenha enfrentado. Prova disso é que os estados Unidos e o Japão , com as respectivas características climáticas intensas até agora não foram “extintos”. Teremos de nos adaptar e respeitar essa nova realidade, mas isso não chegará muitas vezes a dizimar a Terra.
• Dilúvio – alguns pensam que por causa do aquecimento global as calotas de gelo dos pólos irá derreter e inundar completamente a Terra. Porém estudos de ponta afirmam que se isso ocorresse (coisa quase impossível), o nível das águas subiria apenas sete metros, não chegando muitas vezes também a um cenário de extinção da vida como alguns pensam.
• Meteoritos – o nosso céu está muito bem vigiado e amaças de corpos celestes de qualquer tamanho estão quase que cem por cento descartadas. Houve porém em 2004, na descoberta do meteoro Apophis uma possibilidade de colisão com a Terra em 2036. Porém estudos melhores descartaram quase que totalmente uma colisão. Mesmo assim cientistas estudam e simulam a possibilidade de um impacto e desdobramentos, que não resultaria em apocalipse. Outro meteoro, o 2002 NT7 teria previsão de impacto para 2060, mas também precisa-se de mais cálculos, para também ser descartada uma colisão, como aconteceu com o Apophis.
• Terceira guerra mundial – há algum tempo que os grandes países bélicos da atualidade perceberam que a melhor forma de dominação é a econômica e não a territorial. Isso implica dizer que o que resolve problemas hoje é o dinheiro, e não guerras. As maiores potencias do mundo têm bombas atômicas e armas de guerra, mas são obrigadas a se engolir por uma ter medo da outra e por nenhum lado querer perder dinheiro com uma guerra de grandes proporções, pois sabe-se que a guerra é uma ignorância e gera pobreza.
• Desastres climáticos – Existem países que conviveram sempre com que os outros chamam agora de desastres climáticos, mas esse assunto está no artigo de numero um desta série.
• Apocalipse bíblico – baseado no livro de Revelações, a humanidade desde sempre conviveu como se fosse acontecer um apocalipse, e até hoje estamos aqui, graças a Deus. Não quero dizer com isso que não acredito no livro, mas que dependente dele ou não viver com inteligência é atitude de pessoas bem-sucedidas e a bíblia não pede mais do que isso: que vivamos com inteligência. Quando acontecer, se vivermos muitas vezes com certo entendimento não precisaremos nos preocupar , pois estaremos do lado certo.
• Sem árvores ficaremos sem ar – outra questão controversa, pois não são as árvores que propiciam a maior quantidade de oxigênio na atmosfera, mas as cianobactérias do mar. Elas retém o hidrogênio da água e liberam o oxigênio. A falta de árvores porém agravam o efeito-estufa. E o nosso ar também não chega a ter trinta por cento de oxigênio.
• Epidemias e armas biológicas – doenças não são muito fáceis de se fazer e as que já existem possuem vacinas. As principais que têm condições de pandemias são a AIDS e a gripe. A gripe tem pandemias a cada cinquenta anos, e até lá termos a cura para ela, mas se não houver, pelo menos teremos em torno de quarenta e sete anos para nos prepararmos. A Aids já tem uma vacina com eficácia de noventa por cento naqueles que já foram expostos ao vírus. Esses tempos apareceu um tal de Antrax, que vitimou algumas pessoas, mas criar uma arma química que gera doenças em altas proporções é muito caro e difícil de se esconder, sendo suprimidas certamente. Os maiores problemas do Homem hoje são os de convivência em sociedade. Guerras, corrupção, intolerância religiosa, preconceito, drogas e violência são fatores que deveriam ser mais levados em conta do que imaginações apocalípticas irracionais. E se os Maias fosse tão bons com predições, iriam prever à própria derrocada, que minimizou o trabalho dos espanhóis na conquista do Novo Mundo.

Até uma próxima oportunidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: