Como vencer na vida através dos mistérios da Bíblia

Muito se fala hoje em ficar rico, vencer na vida, felicidade e não são poucos os que têm tentado formular teorias para alcançar estes objetivos.
As pessoas interessadas neste assunto comumente lêem livros, assistem a palestras, procuram religiões e estão sempre atentas a qualquer progresso
que este assunto alcance. Pessoas ricas principalmente são as maiores produtoras de livros e palestras nestas áreas. Mas, existe uma fórmula para
vencer na vida? Se depender do conhecimento até dos ricos escritores estamos ainda muito longe dela. Porém posso afirmar que vencer na vida é possível
e o modo de conseguir isso está mais perto de nós do que imaginamos.
Em primeiro lugar, devemos saber o que é vencer na vida para alcançar isso. No entanto, para cada pessoa este “vencer” tem um significado. Para uns é
ficar rico, para outros ter saúde e existem aqueles que entendem-na por apenas conseguir sobreviver. Na verdade o Universo e tudo que existe pendem para o equilíbrio, que é exigido também pela felicidade. Na vida nós podemos fazer uma coisa de cada vez mas isso não é regra para assuntos específicos da vida. Existem pessoas que dedicam a vida inteira só para ficarem ricos e esquecem da família, saúde, do lazer e quando alcançam este objetivo ainda assim não ficam felizes. E por quê? Porque cada coisa deve ter o seu lugar na vida, tendo estas mais ou menos importância nela. Cada coisa deixada de lado na vida um dia vai cobrar por quê foi ignorada. Por isso não devemos  só lutar para ficar ricos, ou então gastar todo o dinheiro no hoje e não pensar no amanhã, mas um equilíbrio simultâneo de tudo o que é importante na vida. Mas o que é importante na vida para que eu lhe dê espaço?
A psicologia moderna diz que o ser humano está baseado num princípio chamado “biopsicosocioespiritual”. Esta palavra quer dizer basicamente que devemos respeitar a bio (vida), o físico, se alimentando bem, se vestindo apropriadamente, dormindo bem e assim por diante. Psico quer dizer espírito se referindo à mente. Deve-se viver em paz, sem dor, sem preocupações desnecessárias e tentar sofrer o menos possível. Socio quer dizer social, no que tange às relações do Homem em sociedade. Ninguém pode viver isolado e é do instinto humano a interação social. E a forma mais básica
dessa interação é a família, que deve ser respeitada dado ao enorme valor que tem. Já o espiritual como o próprio nome já diz, tem a ver com os desígnios do espírito. Todos os povos, por mais primitivos que sejam, têm a concepção de haver um ser superior, na nossa língua chamado de Deus. Essa inclinação espiritual inerente a todos os seres humanos deve ser respeitada para que o indivíduo se sinta pleno. As distorções no princípio biopsicosocioespiritual podem causar vários problemas. Por exemplo, traumas e doenças de infância podem fazer de um indivíduo que não se dá bem socialmente. A pobreza excessiva na infância também pode criar um adulto que só saiba trabalhar e guardar dinheiro, deixando todas as
demais coisas de lado. Não podemos escolher de quem seremos filhos, a classe social que teremos ao nascer ou se iremos nascer perfeitos ou com doenças mas é nosso dever pelo menos ter uma vida equilibrada. Isso é tão importante quanto ser rico ou “ser alguém”. O equilíbrio das coisas é o alicerce do vencer na vida e por si só este equilíbrio pode fazer um indivíduo bem-sucedido. Mas o que a Bíblia
pode contribuir para vencermos na vida?
A Humanidade tem vários milênios e desde o início dela o Homem procura o conhecimento das coisas e principalmente o de si próprio. Nessa procura de conhecer-se a Humanidade produziu muito auto-conhecimento que foi passado oralmente e depois do advento da escrita foi armazenado em pergaminhos e livros. Porém alguns conhecimentos que foram produzidos tinham algo diferente. Eles não eram apenas meras definições do que existia. Eram palavras
sobrenaturais que tinham o poder de interferir no mundo. Pelo poder destas palavras, as pessoas que as detinham, com medo do que se faria desse poder, as ocultaram em livros, filosofias e símbolos. Os textos estavam escritos de um modo que só a quem fosse revelado poderia entender o real significado deles. Na Bíblia estes mistérios foram chamados em casos específicos de Parábolas. Nas filosofias, a mais conhecida que se utiliza destes mistérios é a Maçonaria, que diz possuir o segredo de como as pirâmides foram construídas, conhecimento que mesmo dado o avanço tecnológico que temos hoje não se descobriu como elas foram edificadas. Mas quais são esses segredos?
Muitas vezes nós escutamos frases do tipo “dinheiro chama dinheiro”, “Deus dá asas somente para aqueles que não sabem voar” “nunca diga nunca” e afins. O que elas têm em comum? Que só quem despreza algo é que o possui. Isso é extremamente incoerente, sem dúvida, porém é o que rege o mundo. Se pararmos para pensar, todos já vimos situações que ilustram isso,  mas muitas vezes não nos damos conta delas. Baltazar Gracian, escritor e religioso católico da idade média também falou à respeito em seu livro “A Arte da Prudência”: “ As coisas no mundo são como uma sombra- se corremos dela ela nos persegue, mas se a perseguimos, ela foge de nós…”. Robert Benchley disse paralelamente que “O homem se torna aquilo que mais despreza”. Isso acontece por critério de justiça divina. Essa justiça tende a igualar todos os Homens no mesmo nível de satisfação de vida, independente se nasceram pobres, ricos, sãos, doentes, etc. Cada um vai se prejudicar ou compensar capacidades para que todos fiquem no mesmo nível de satisfação de vida, por causa desse “marco” interno, que está no mesmo patamar para todos. Os que têm melhores condições costumam a se arriscar mais, enquanto aqueles que passaram por mais dificuldades tendem a ser mais prudentes. A própria Bíblia relata: “Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; Para que nenhuma carne se glorie perante ele. Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção; para que, como está escrito: Aquele que se gloria, glorie-se no Senhor.” (1 Coríntios 1, 27-31). Gloriar no Senhor quer dizer devemos dar graças a Deus por tudo de bom que temos ou somos e falarmos “se Deus quiser” ou “em nome de Jesus” quando queremos algo. Isso para que não fiquemos sujeitos a esse “marco de satisfação”, e possamos progredir além do que deveríamos, ou para que não percamos o que de bom alcançamos. Esse é o mistério bíblico chamado “humildade”. Aquele que não é humilde, logo perderá o que conseguiu, por estar mais satisfeito que os outros, pelo critério da justiça divina, enquanto que aquele que é humilde o mantém. Para confirmar isso vejamos o texto a seguir: “Eia agora vós, que dizeis: Hoje, ou amanhã, iremos a tal cidade, e lá passaremos um ano, e contrataremos, e ganharemos; Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece. Em lugar do que devíeis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos, faremos isto ou aquilo.”(Tiago 4, 13-15).
Mas retornando ao princípio do desprezo para vencer na vida, a própria Bíblia fala dele: “Por isso, vos digo: não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo, {mais} do que a vestimenta? Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas? E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura? E, quanto ao vestuário, porque andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham, nem fiam. E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, não vos {vestirá} muito mais a vós, {homens} de pequena fé? Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos ou que beberemos ou com que nos vestiremos? (Porque todas essas {coisas} os gentios procuram.) Decerto, vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas essas {coisas;} Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas {coisas} vos serão acrescentadas.” (Mateus 6,25-33). Por outro lado, se não queremos que algum mal nos suceda, nunca devemos dizer ”eu não quero que isso me aconteça” mas “se Deus quiser ou em nome de Jesus isso não vai me acontecer”. Pois quando confiamos nas nossas capacidades, deixamos Deus de lado e perdemos a excelsa providência dEle. A pior palavra a se dizer é “eu quero” Por humildade, deve-se dizer que todos estão sujeitos às mesmas coisas ruins, o que não deixa de ser verdade. Pelo princípio de justiça divina, desprezar algo de bom ou dizer “se Deus quiser” ou o “Seja feita Sua vontade” no Pai-nosso têm o mesmo sentido, e esse é outro grande mistério da Bíblia. São muitos os segredos bíblicos, porém os mais importantes são a humildade e o desprezo, como foi demonstrado aqui.

Até uma próxima oportunidade.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: